Buscar
  • Paula Caputo

ESCREVER UM LIVRO, PLANTAR UMA ÁRVORE, TER UM FILHO


Não sei você, mas cada vez mais, vejo a vida longe de provérbios inalcançáveis (pelo menos para a maioria dos mortais) e definitivamente cor-de-rosa, acredito que tenha chegado a hora de humanizá-los. Algo do tipo: “trocar de carreira, criar filhos sem redes de apoio e pagar boletos em dia” seja mais verdadeiro no mundo em que vivemos.


Entendo que o provérbio, que eu mesma citei, fala sobre legado – sobre o que construímos em vida e entregamos ao mundo. Mas, num mudo em que mal se consegue sobreviver, honrar histórias de gente real, com vidas realmente reais me parece mais coerente.

Não está fácil para ninguém, é fato.


A pandemia bagunçou nossa vida, nosso trabalho e o modo como pensávamos e agíamos. Precisamos nos readaptar rapidamente da melhor forma que pudéssemos e, cumprimos essa missão com louvor lindamente.


No entanto, nossa saúde física, mental e emocional ainda exige cuidados. E, nada melhor do que pararmos de viver um mundo cor-de-rosa para darmos lugar a pessoas de verdade, com batalhas reais.


Todo o dia tem gente recomeçando, buscando por novas oportunidades, um novo jeito de “fazer dar certo” seja no trabalho ou num relacionamento. Gente que busca se melhorar como pode e que apesar das dificuldades não desiste, foca na solução e só vai.


Não quero promover dor com esse texto, mas vim te lembrar de que suas batalhas pessoais diárias, também são dignas de frases de efeito e, consequentemente, de reconhecimento próprio. No final das contas é a sua batalha que conta para você.


Ler, se informar, se inspirar nos grandes é ótimo, mas entender/reconhecer o seu valor e saber que você também tem direito a um espaço (que você eleger para você mesmo (a)) não tem preço.


Sugiro que você refaça o provérbio com sua história, como seria o seu provérbio, que histórias você conta?


A minha seria: Se manter casada é possível; Filhos dificultam, mas não são impedimento para nada; tudo bem engavetar uma graduação; é possível organizar a vida de forma empática e sustentável e, por aí vai.


Essa é a minha história, o que faz sentido para mim e me dá orgulho de ser quem sou. E, é justamente isso que estou te convidando a fazer: a ter orgulho de você, de suas conquistas.

De que adianta tanto FAZER e TER, se você não se diverte, se não se orgulha dos seus feitos, da sua coragem, da sua ousadia de ir e fazer, resolver, conquistar, realizar. Heim?!


Mas, não se preocupe se você não tem gostado das histórias que anda contando. Amanhã é outro dia e você SEMPRE pode recomeçar e ir atrás das verdadeiras histórias dignas de serem contadas por você!


Mas, não se preocupe se você não tem gostado das histórias que anda contando. Amanhã é outro dia e você SEMPRE pode recomeçar e ir atrás .das verdadeiras histórias dignas de serem contadas por você!


*Artigo originalmente publicado na Revista Statto, em 27 de fevereiro de 2021. Disponível em: https://revistastatto.com.br/bem-estar/razoes-de-viver/escrever-um-livro-plantar-uma-arvore-ter-um-filho/ .

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo